LOGOCEREST

slogan
ArtigosCompartilhe:
Matéria publicada em 28/04/2014.

28 de Abril – Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho

Conforme relatório da Organização Internacional do Trabalho – OIT, a utilização de produtos químicos no ambiente de trabalho constitui em importante desafio para os programas de proteção nos locais de trabalho. Ainda não se sabe exatamente quantos produtos químicos existem no mundo e nem o número exato de trabalhadores que estão expostos a eles.

Produtos químicos são encontrados na agricultura através dos pesticidas utilizados para produzir mais e melhor visando o desenvolvimento econômico; nos produtos de limpeza; nos medicamentos; nos salões de beleza; em estabelecimentos industriais tais como refinarias petroquímicas, construção e fabrica de automóveis; entre outros, muitas vezes atingindo o trabalhador e também causando impacto significativo ao meio ambiente, como alterações climáticas, destruição da vida selvagem e poluição da água potável.

Praticamente todos os locais de trabalho em todos os setores utilizam produtos químicos e, por tanto, temos uma ampla gama de trabalhadores potencialmente expostos.

Produtos químicos podem causar efeitos em todos os sistemas do corpo humano. Os impactos sobre uma pessoa que desenvolve uma doença após exposição a produtos químicos podem ser incalculáveis, as vítimas muitas vezes perdem a capacidade de trabalhar, perdem qualidade de vida diária e capacidade de manter as atividades normais, em alguns casos, as vítimas morrem e suas famílias enfrentam a perda, e redução do bem estar econômico e estabilidade. As empresas também pagam o preço destas doenças, através da perda de produtividade, absenteísmo e programas de compensação de acidentes e doenças ocupacionais.

O número de doenças profissionais, devido a exposição a produtos químicos é considerável. A OIT emitiu uma nota sobre a carga global de doenças atribuível a produtos químicos, em setembro de 2012, na Conferência Internacional sobre Gestão de Produtos Químicos. O estudo analisa as informações disponíveis sobre a carga global de doenças, que envolve produtos químicos, através de vários meios, incluindo ar, água, exposições ocupacionais e ingestão direta. O estudo mostrou que, em 2004 o número de mortes no mundo atribuído a exposição ao meio ambiente e a manipulação de produtos químicos foi de 4,9 milhões equivalente a 8,3% do total.

Estatísticas divulgadas pela OIT posicionam o Brasil no 4º lugar do ranking de acidentes fatais e 15º no de acidentes gerais. Segundo José Pastore, Sociólogo da Universidade de São Paulo (USP), o país gasta nada menos que R$ 71 bilhões com o tema.

No Rio Grande do Sul conforme relatório anual 2012 dados de atendimento do Centro de Informações Toxicológicas – CIT, quando a exposição humana o número de atendimentos está assim distribuídos: medicamentos 6.623; animais peçonhentos 5.547; saneantes domissanitários 1.599 e produtos químicos industriais 1.185. No período o CIT registrou 26 óbitos nas 20.237 solicitações atendidas relacionadas a exposições humanas. Os principais grupos de agentes envolvidos no registro de óbitos são os agrotóxicos e os produtos químicos industriais (ambos com 30,8%).

Os trabalhadores que estão diretamente expostos a substâncias perigosas têm o direito de trabalharem em um ambiente seguro e saudável de estarem devidamente informados, treinados e protegidos.

Elizabete Trevisan - Enfermeira doTrabalho

Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador da Macrorregião Missioneira IJUÍ/RS