LOGOCEREST

slogan
DestaquesCompartilhe:
Matéria publicada em 16/10/2012.

Cerest orienta professores para o cuidado com a voz

 

A importância da voz e da comunicação humana é inquestionável. A voz é uma característica única de cada pessoa, um meio essencial de atingir o outro. No Dia do Professor, 15 de outubro, o Centro de Regional de Referência em Saúde do Trabalhador da Macrorregião Missioneira (Cerest Ijuí) alerta para os cuidados com a voz nessa profissão.

Segundo a Fonoaudióloga do Centro, Elisa Lucchese Bezerra, a voz é produzida pela vibração das pregas vocais ocasionada pelo fluxo de ar que vem dos pulmões e da ação dos músculos da laringe, este som primário vai tomando forma e sendo amplificado à medida que passa pelas cavidades que funcionam como “autofalantes” naturais: faringe, boca e nariz. “Embora a principal função da voz seja carregar as palavras, na atualidade um terço da força laboral depende da voz como instrumento de seu trabalho. Cita-se como um dos profissionais da voz o professor, e que, por isso, possuem uma maior predisposição para desenvolver algum tipo de alteração vocal”, aponta. De acordo com Elisa, ao apresentar sinais e sintomas como rouquidão por mais de 15 dias, cansaço ao falar, garganta seca, ardência, falhas na voz e perda da voz é necessário procurar atendimento médico e fonoaudiológico.

Existem alguns cuidados que podem ajudar o professor a ministrar suas aulas de forma saudável e evitar os distúrbios vocais.

 

Quanto ao ambiente:

- Adequar a voz quanto ao ambiente em que é projetada controlando o volume

- Manter a porta fechada reduzindo a concorrência entre ruídos ambientais e a voz

- Preferencialmente não utilizar salas muito amplas e próximas de ruas movimentadas ou quadras de esportes, que levem o professor a competir com o barulho

- Dispor os alunos de forma mais agrupada pode facilitar a projeção da voz

- Aulas ao ar livre (recreação ou educação física) exigem uma atenção especial para não haver abuso vocal do professor: evitar gritar, aproximar-se dos alunos para falar, usar apitos ou assobios para chamar a atenção; o megafone é um bom recurso para falar em ambientes abertos ou então usar as mãos em torno da boca

- Usar microfones quando as salas forem muito grandes e com muitos alunos.

Quanto aos hábitos diários:

- Apagar o quadro com um pano úmido contribui para a redução do pó em suspensão

- Manter na sala de aula uma garrafa com água e beber alguns goles sempre que possível

- Intercalar aulas expositivas com atividades de menor uso vocal

- Evitar dar os últimos avisos no momento em que toca a campainha para a saída dos alunos, pois eles não estarão mais atentos e o ruído de guardar o material vai competir com a voz do professor

Quanto ao uso da voz:

- Falar em intensidade moderada e num tom confortável

- Procurar controlar a disciplina dos alunos com mudanças de atitudes ou conduta, e não com gritos.

- Articular com precisão as palavras, mas sem exagero. Uma boa articulação promove boa compreensão da mensagem e diminui o esforço das pregas vocais

- Não falar de costas ou de lado para os alunos. Não falar enquanto escreve no quadro negro. Isto faz com que o professor tenha que aumentar a intensidade da sua voz e que aspire o pó de giz.

- Usar o intervalo entre as aulas como repouso vocal

- cuidar com o abuso vocal nos ensaios de comemorações, quando possível, usar microfone já nos ensaios e não somente nos dias de festa.